NOSSA FÉ - Comunidade Apascentar de Bom Jardim

Ir para o conteúdo

Menu principal:

NOSSA FÉ

CONHEÇA

SOBRE DEUS
Deus é o criador e a lei que rege o universo. Ele existe eternamente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Estes três são iguais e um só Deus. Gênesis 1.1, 26-27; Salmo 90.2; Mateus 28.19; I Pedro 1.2. SOBRE HOMEM Criou Deus o homem à Sua imagem, para ser igual a Ele em caráter. O ser humano é a criação suprema de Deus. Embora toda pessoa tenha potencial para o bem, ela teve uma atitude de desobediência (pecado) para com Deus. Esta atitude é que a separa o de Deus. Gênesis 1.27; Salmo 8.3-6; Isaias 53.6a; Romanos 3.23; Isaias 59.1.
SOBRE A ETERNIDADE
O homem foi criado para uma existência plena. Para ser eterno. Ele poderá viver: eternamente separado de Deus pelo pecado ou em união com Deus pelo perdão e salvação. Ser separado de Deus é estar no Inferno. Estar eternamente com Deus é vida eterna. Céu e Inferno são lugares de existência eterna. João 3.16; João 2.25; João 5.11-13; Romanos 6.23; 1 João 5.11-12; Mateus 25.31-46.
SOBRE JESUS CRISTO
Jesus Cristo é o Filho de Deus. Ele é igual ao Pai. Jesus viveu uma vida humana sem pecado e ofereceu-se como sacrifício, morrendo numa cruz para perdão dos pecados de todas as pessoas. Ele ressuscitou ao terceiro dia para demonstrar o Seu poder sobre o pecado e a morte. Ascendeu ao céu e voltará novamente à terra para levar sua igreja ao reino eterno. Mateus 1.22-23; Isaias 9.6; João 1.1-5; Hebreus 4.14-15; I Coríntios 15.3-4; Romanos 1.3-4; Atos 1.9-11; I Timóteo 6.14-15; Tito 2.1.
SOBRE SALVAÇÃO
A salvação é um presente de Deus para todas as pessoas. O ser humano nunca poderá resgatar seu pecado por si mesmo. Somente crendo em Jesus Cristo como oferta de Deus para o perdão e salvação, a pessoa será salva para a vida eterna. A vida eterna começa no momento em que ela, pela fé, recebe Jesus Cristo em sua vida. Romanos 6.23; Efésios 2.8-9; João 14.6; Tito 3.5; Gálatas 3.26.
SOBRE SEGURANÇA ETERNA
Deus dá ao ser humano vida eterna através de Jesus Cristo, por isso, o crente está seguro na salvação para a eternidade. A salvação é mantida pela graça e poder de Deus, não pelo esforço individual do cristão. É a graça e o poder de Deus que dá esta segurança. João 10.29; II Timóteo 1.12; Hebreus 7.25; 10.10-14; 1 Pedro 1.3-5.
SOBRE ESPIRITO SANTO
O Espírito Santo é igual ao Pai e ao Filho. Dentre outras atribuições, o Espírito Santo está presente no mundo para convencer as pessoas sobre a necessidade da salvação em Jesus Cristo. Ele habita junto ao cristão desde o momento que este aceita Jesus Cristo como salvador. Ele supre o cristão com o poder da vida, do entendimento da verdade espiritual e da orientação para fazer o que é certo. O cristão deve viver diariamente sob o controle do Espírito Santo. II Coríntios 3.17; João 16.7-13, 14.16-17; Atos 1.8; 1 Coríntios 2.12, 3.16; Efésios 1.13; Gálatas 5.25; Efésios 5.1. SOBRE A BÍBLIA A Bíblia é a palavra de Deus para todas as pessoas. Foi escrita por homens sob a orientação do Espírito Santo. É a fonte suprema de verdade para convicções cristãs e vida. É a verdade sem conter erro. II Timóteo 3.16; II Pedro 1.20-21; II Timóteo 1.13; Salmo 119.105, 160; Salmo 12.6; Provérbios 30.5.
ALGUNS PRINCÍPIOS DISTINTIVOS DA FÉ DE NOSSA IGREJA:
• Autoridade da Bíblia - como a única regra de fé e prática (conduta). Cremos na inspiração total das escrituras e não reconhecemos nenhuma outra literatura paralela as Escrituras como regra de fé.
• Separação entre a Igreja e o Estado - dentro deste princípio está a liberdade religiosa.
• Igreja – como uma comunidade local democrática e autônoma, formada de pessoas regeneradas e biblicamente batizadas, tendo Cristo como o Cabeça.
• A absoluta liberdade de consciência dos membros.
• O Sacerdócio Universal dos Salvos, a responsabilidade individual diante de Deus.
• As Ordenanças: O Batismo e a Ceia do Senhor são as duas ordenanças da igreja estabelecidas pelo próprio Senhor Jesus Cristo no NT, sendo ambas de natureza simbólica. (Mateus 3.5-6, 13-17, Mateus 16.26-30; João 3.22-23; 4.1-2; I Coríntios 11.20, 23-30). Elas não são sacramentos (não conferem graça ou poder por si mesmas). Não batizamos infantes. Entendemos que uma igreja justifica a sua existência pelas seguintes atividades: Evangelização e Missões, Ensino Cristão , Adoração Pública , Assistência Social.

 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal